domingo, 2 de julho de 2017

O QUE FAZ UM PROFISSIONAL DE HIPNOSE?



Se você se interessa por hipnose e deseja se tornar um hipnoterapeuta, saiba que para ser esse profissional é necessário ir além de buscar os conhecimentos necessários para exercer as técnicas, pois é preciso ainda estar familiarizado com o processo terapêutico.

            A hipnoterapia é conhecida como um trabalho terapêutico que utiliza de técnicas da hipnose como principal instrumento para o tratamento de doenças, onde o indivíduo realiza uma busca por ele mesmo, ou com a ajuda do terapeuta, possuindo assim solução para diferentes problemas.

Além disso, é importante lembrar que não existe apenas uma forma de hipnoterapia, pois cada hipnoterapeuta já vem de uma linha teórica da Psicologia, procurando usar a hipnose como forma de compreensão do ser humano. Assim, cada processo terapêutico é muito diferente e consequentemente os seus resultados também.

Saiba mais sobre o que é um hipnoterapeuta

O hipnoterapeuta é um profissional que realiza uma terapia psicológica e aconselhamento onde procura tratar diversos tipos de transtornos emocionais e psicológicos, além de muitos hábitos e sentimentos ​​indesejáveis.

Assim, o objetivo deste profissional é procurar ajudar seus clientes no processo de encontro de alternativas que sejam significativas em relação as suas atuais formas de pensar, sentir e agir.

Além disso, o hipnoterapeuta também procura ajudar diversos clientes a aceitarem mais a si mesmos e os outros, sendo este um grande efeito quanto ao desenvolvimento pessoal, pois é possível atingir a libertação do potencial interior. 

Com isso, diferente de muitas outras terapias psicológicas, o tratamento de hipnoterapia é avaliado como uma abordagem em curto prazo em que a mudança pode trazer muitos benefícios com um número relativamente pequeno de sessões.

Normalmente, na prática, a maioria dos hipnoterapeutas irá procurar fazer uma combinação de procedimentos hipnóticos, como o aconselhamento apropriado e outras técnicas terapêuticas. E mesmo que ocorra qualquer dúvida sobre a combinação de habilidades que serão utilizadas, o terapeuta deve ser requerido para possa fazer uma explicação da metodologia que está preferindo.

Muitas pessoas ainda possuem dúvidas sobre quem pode ser hipnotizado, e a resposta é praticamente todos. Entretanto, é importante fazer uma observação de que alguns são mais facilmente hipnotizáveis ​​do que outros, além de depender também de uma disposição para ser hipnotizado naquele momento.

Além disso, esta vontade própria irá depender de diversos fatores, além da confiança no terapeuta em questão. Assim, entender qual é o nível de transe deve ser necessário na intenção de conseguir alcançar um resultado benéfico, mesmo que ainda haja alguma discordância, pois as maiorias dos estudiosos concordam que o nível ou a profundidade do transe obtido não possui nenhum relacionamento com os resultados benéficos que podem ser obtidos.

Dessa forma, a hipnoterapia pode ser considerada como extraordinária e eficaz. Mas, é necessário que as técnicas corretas estejam sempre presentes, pois se você estiver no momento certo e com um profissional adequado, então todos as suas metas poderão ser alcançadas.

Assim, considerando que a hipnoterapia pode ser utilizada para poder ter um acesso ao potencial interno de uma pessoa, então a maioria das pessoas que realizam o tratamento com um hipnoterapeuta podem se beneficiar. Entretanto, não irá depender apenas do potencial ou se a hipnoterapia está bem posicionada, mas também de recursos internos da pessoa para que se tenha uma mudança benéfica.

Assim, pode-se dizer que a capacidade de cura natural do próprio corpo pode ser estimulada pela hipnoterapia, e consequentemente, os diversos problemas que podem ser passíveis de hipnoterapia são muitos e variados incluindo problemas, como o stress, ansiedade, pânico, fobias, hábitos e vícios indesejáveis, perturbações de sono, falta de confiança e baixa autoestima, medo de ter comunicação em público, alergias e doenças de pele, enxaqueca e síndrome do intestino irritável, entre muitos outros problemas.
É importante salientar também que a hipnoterapia vai além da Medicina, podendo ser muito usada na área de Odontologia, Psicologia, na Fisioterapia, na Enfermagem e outras profissões de saúde.

Assim, o hipnoterapeuta pode ser extremamente útil quando coloca em prática métodos que podem auxiliar em vários pontos da vida das pessoas, incluindo a saúde mental e emocional, um melhor bem-estar físico, o trabalho no desenvolvimento espiritual, na criatividade, na motivação, nas preocupações de negócios, na realização dos mais diversos objetivos, e muitos outros pontos que pode ser positivos.
SAIBA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO NOS SITES ABAIXO:

FALANDO DE HIPNOSE


A história da hipnose possui o seu início nos primórdios das primeiras civilizações, sendo considerada tão antiga quanto à própria humanidade, onde nas culturas antigas esta prática era usada como uma forma de cura utilizada pelos sacerdotes.

A hipnose é conhecida como um estado alterado da consciência que é caracterizado por ser focada em uma atenção extrema e um profundo relaxamento físico, permitindo assim o enfoque em relação a abordagem do subconsciente das pessoas.

Sendo considerado como um fenômeno universal, a hipnose ainda pode ser encontrada na história da humanidade, passando por diversas culturas diferentes de rituais, danças, expressões e forças da natureza advinda dos povos civilizados, onde todos seguiam e procurava um estado de consciência, o famoso transe.

Conheça mais sobre a história da hipnose

Pode-se dizer que a história da hipnose foi associada a diferentes ideias, onde ao longo do seu desenvolvimento foram surgindo diferentes momentos do seu uso e aplicações. Sendo assim, segue abaixo a utilização do estado hipnótico durante a história da humanidade.

·         Em 1500 A.C. nas culturas antigas, como no Egito, a Hipnose era uma das formas mais usadas de cura pelos sacerdotes. Entretanto, esta não era utilizada em termos formais de hipnose, mas sim na utilização de procedimentos hipnóticos para a cura de diversas dores e doenças.
Assim, a hipnose era utilizada na antiguidade envolvendo magia, misticismo e religiosidade como os principais objetivos de cura através da imaginação, profecias, captação de ideias e mensagens dos deuses.
·         Já no século XVIII e XX, a hipnose passou por um período de experimentação cientifica com Franz Mesmer, o qual era um médico austríaco que iniciou os seus estudos devido ao interesse no magnetismo animal  para se obter informações sobre a cura de dores e doenças.
 Entretanto, algum tempo mais tarde, Mesmer percebeu que o homem também era capaz de captar energia e passou a estudar o magnetismo humano, onde realizou várias cirurgias e anestesias sobre transe hipnótico.
 Assim, foi desenvolvida a expressão Mesmerismo, o qual teve um enorme destaque no meio científico e acadêmico, por mais que tenha alcançado muito sucesso e alguns fracassos. Por fim, Mesmer acabou sendo descreditado do seu trabalho no meio científico, mas os seus métodos ainda continuaram a ser utilizados até os dias de hoje.
·         No caso de James Braid, este era um médico inglês que quando assistiu a uma cirurgia efetuada por Mesmer com anestesia geral recorrendo a  hipnose se interessou e começou a estudar o processo, reformulando consequentemente a teoria de Mesmer.
 Além disso, por muitos anos a hipnose foi esquecida e mal interpretada por não ser compreendida na época devido à natureza e dinâmica dos seus fenómenos.
·         Em 1889 ocorreu o primeiro Congresso Internacional de Hipnose, o qual foi organizado pelo médico Jean Charcot contando com a participação de vários especialistas como William James, Lombroso e Sigmund Freud.
 A partir daí diversos livros passaram a ser escritos, onde as revistas científicas começaram a publicar artigos sobre hipnose. Além disso, William James ainda incluiu um capítulo sobre hipnose no seu livro Princípios de Psicologia, e Wilhelm Wundt, o qual é conhecido como o pai da Psicologia como Ciência, escreveu um livro sobre a hipnose.
·         A hipnose ainda foi estudada por Milton Erickson, que desenvolveu uma psicoterapia com diversas definições, principalmente devido as diferentes fases que viveu, onde até a década de 60, procurou utilizar vários dos conceitos psicanalíticos para uso e compreensão da hipnose.
Além disso, nas últimas duas décadas da sua vida, ele ainda desenvolveu uma abordagem de compreensão do ser humano, onde continha um vocabulário e técnicas como, inconsciente sábio, recursos para superação dos problemas, aprendizagens automatizadas, transe, técnica de confusão, sugestões indiretas, entremear, semeadura, mente consciente e mente inconsciente, utilização de anedotas, metáforas e tarefas.
·         Além desses, Sigmund Freud, um dos mais conhecidos até os dias de hoje, praticou a hipnose em seus tratamentos, mas depois de certo período abandonou esta prática, embora ainda continuasse a tirar proveito das suas descobertas.

Portanto, com a história da hipnose é possível concluir que este é um assunto que abrange diferentes ideias e opiniões desde a antiguidade, sendo considerado como um desenvolvimento e fortalecimento de uma verdadeira conexão de alma entre os seres humanos.
SAIBA MAIS EM 

domingo, 21 de agosto de 2016

ANAIS IV CVPSE DE 24 A 27/08 2016

IV CVPSE - Este evento promovido pelo ISEC - Instituto de Psicologia Ser e Crescer em conjunto com o Programa de Mestrado e Doutorado em Cognição e Linguagem da UENF-RJ

De 24 a 27/08 2016

Para assistir as palestras, clique aqui

ESTRUTURA



Comissão científica:

Profa, Dra. Arlete Parrilha Sendra - Pós-Doutora em Semiótica - PUC RJ e Universidade de Salamanca

Prof. Dr. Carlos Henrique Medeiros de Souza - Doutor em Comunicação UFRJ

Prof. Dr. Luís Antonio Monteiro Campos - Doutor em Psicologia UFRJ

Profa. Drda. Beatriz Acampora e Silva de Oliveira - Mestre em Cognição e Linguagem UENF

Prof. Drd. João Batista de Oliveira Filho - Mestre em Cognição e Linguagem UENF

Prof. Drd. Luis Flávio Chaves Anunciação


Comissão organizadora:

Profa. Drda. Beatriz Acampora e Silva de Oliveira - Mestre em Cognição e Linguagem UENF

Prof. Drd. João Batista de Oliveira Filho - Mestre em Cognição e Linguagem UENF

Profa. Drda. Bianca Isabela Acampora e Silva Ferreira


ANAIS

Dia 24/08 – Quarta feira

10h00 Prof. Luis Anunciação
HANDS ON EM PSICOMETRIA: TEORIA DE RESPOSTA AO ITEM R
Luis Anunciação – Especialista em Medidas psicológicas; Mestre e Doutorando em Psicometria

PARA ASSISTIR A PALESTRA CLIQUE AQUI

Resumo do trabalho Técnicas de estatística e psicometria são essenciais para pesquisas em Psicologia, ainda mais no cenário em que se consideram as evidências científicas para realizar diferentes práticas. Estas técnicas podem ser ensinadas de diversas formas e por inúmeras plataformas e esta exposição pautou-se em como proceder com tais análises utilizando o Software gratuito R. Os dados analisados foram oriundos de duas pesquisas feitas com o instrumento “Tendência Empreendedora Geral – TEG”: uma contou com a participação de especialistas para mensurarem a validade dos itens e a segunda foi relacionada com análises da Teoria de Resposta ao Item (TRI) frente aos resultados de uma pesquisa preliminar feita em São Paulo/2015. As técnicas matemáticas utilizadas foram o cálculo do Coeficiente de Validade de Conteúdo (CVC) e o Modelo de 2 Parâmetros Logísticos (2PL) de uma regressão não-linear.

14h00 Profa. Martha Caroline
EFICÁCIA AUTORREGULADORA EM ESCRITA DE REDAÇÃO: DIFERENÇAS ENTRE PRÉ-VESTIBULANDOS ORIUNDOS DO ENSINO PÚBLICO E DO PRIVADO
Martha Caroline Duarte de Brito Freitas - Mestre em Cognição e Linguagem pela Universidade Estadual do Norte Fluminense – UENF
TRABALHO COMPLETO

PARA ASSISTIR A PALESTRA CLIQUE AQUI

Resumo do trabalho: Este trabalho teve como objetivo verificar se haveria diferença entre a crença de autoeficácia para planejar, organizar e executar a escrita de dissertação-argumentativa de 39 alunos oriundos de escola pública e do ensino privado, que cursavam um Pré-Vestibular na cidade de Campos dos Goytacazes/RJ. Realizou-se um estudo de caso, através da aplicação de um Inventário de Eficácia Autorreguladora em Escrita, de autoria dos pesquisadores Albert Bandura e Barry Zimmerman (1994). Essa investigação apontou que, com uma pequena diferença, os alunos provenientes de escola particular apresentaram uma crença de autoeficácia mais positiva que os outros que realizaram seus estudos na rede pública, demonstrando que os últimos necessitam mais de direcionamentos e estratégias autorreguladoras que propiciem o desenvolvimento da escrita de redação.

Dia 25/08 – Quinta feira

10h00 Profa. Beatriz Acampora
SAÚDE E QUALIDADE DE VIDA DE ALUNOS DE DOUTORADO
Beatriz Acampora e Silva de Oliveira - Mestre em Cognição e Linguagem pela Universidade Estadual do Norte Fluminense – UENF
TRABALHO COMPLETO

PARA ASSISTIR A PALESTRA CLIQUE AQUI

Resumo do trabalho: Atualmente a qualidade de vida vem sendo muito valorizada e envolve indicadores que englobam fatores objetivos, como saneamento básico e subjetivos, como satisfação e valorização da vida. Objetivos: avaliar a saúde e qualidade de vida dos alunos de doutorado dos cursos de ciências da educação e de saúde pública da Universidad Americana e comparar os resultados encontrados em ambos os grupos. Metodologia: Este estudo tem como enfoque a investigação da percepção da qualidade de vida relacionado as atividades de vida diária de uma amostra de 32 alunos de doutorado em Saúde Pública e Ciências Educação da Universidad Americana – Assunção – PY. Para essa investigação foi utilizado o questionário Medical Outcomes Study Questionaire 36 – Item Short Form Health Survey (SF-36) que avalia a qualidade de vida relacionada à saúde. Nessa pesquisa foram avaliados: a amostra geral, o conjunto de homens e mulheres e o conjunto de profissionais de saúde e professores. Resultados e discussão: No que diz respeito à média da amostra de 32 indivíduos investigados, os resultados da pesquisa revelaram que a capacidade funcional está acima da média (80%); os aspectos físicos estão na média superior (70%); a dor está abaixo da média (20%); o estado geral de saúde, a vitalidade e os aspectos sociais classificam-se como medianos; os aspectos emocionais estão acima da média (80%); os aspectos mentais encontram-se na média superior (60%). Não há diferenças significativas entre homens e mulheres. Na comparação das médias relativas à profissão dos indivíduos da amostra, percebe-se que não há diferenças significativas na saúde geral e qualidade de vida de professores e profissionais de saúde, destacando que a capacidade funcional dos profissionais de saúde é levemente superior a dos professores e os aspectos físicos dos professores são melhores do que o mesmo item pesquisado em profissionais de saúde. Conclusões: A amostra geral estudada apresentou uma boa qualidade de saúde e na comparação entre os grupos estudados, não houve diferenças muito significativas.

14h00 Profa. Bianca Acampora
FUNÇÕES EXECUTIVAS E METACOGNIÇÃO: INFLUÊNCIAS NA APRENDIZAGEM.
Bianca Isabela Acampora e Silva - Mestre em Cognição e Linguagem pela Universidade Estadual do Norte Fluminense – UENF
TRABALHO COMPLETO

PARA ASSISTIR A PALESTRA CLIQUE AQUI

Resumo do trabalho: O presente estudo visa analisar as influências dos conhecimentos da neurociência no campo da educação, a saber: as funções executivas e a metacognição. As funções executivas que podem influenciar diretamente na aprendizagem englobam as funções executivas cognitivas (habilidades de planejamento, flexibilidade cognitiva e comportamental, monitoramento de atitudes), funções de regulação da atividade (direcionada a metas) e funções dos processos metacognitivos (autorregulação e autoconsciência). O método utilizado foi pesquisa bibliográfica com base de dados Scielo com referencial teórico baseado nos autores Corzo (2013) e Jou e Sperb (2006).Os resultados obtidos com este estudo se referem à utilização da metacognição por parte do indivíduo para ampliação da sua aprendizagem. As funções executivas permitem que o indivíduo planeje, monitore e controle seus pensamentos, sua aprendizagem e, consequentemente, suas ações. A metacognição é um subsistema de controle (dentro das funções executivas) que, de acordo com as premissas de Jou e Sperb (2006) visam o monitoramento, a elaboração de estratégias para resolver problemas e situações, ocasionando a autorregulação e a autoconsciência e melhorando a aprendizagem. As conclusões deste estudo referem-se a uma aprendizagem eficaz através do uso das funções executivas e da metacognição que englobam o gerenciamento de metas e objetivos para que possa coordenar, monitorar e autorregular as próprias atividades mentais. De acordo com as ideias de Corso (2013) a aprendizagem ocorre quando o indivíduo coloca em prática determinados processos executivos que o levem a regular a própria atividade de pensamentos e ações. O indivíduo deve ser estimulado a ter algumas atitudes para aprender de forma mais eficaz: desenvolver o autoconhecimento sobre a sua cognição, avaliar a situação atual da sua atividade cognitiva e autorregulá-la. Dessa forma, o uso das funções executivas e da metacognição implica em uma aprendizagem de qualidade.

Dia 27/08 – Sábado

09h00 Prof. João Oliveira
LINGUAGEM CORPORAL NO TRABALHO: ASPECTOS GERAIS
João Batista de Oliveira Filho – - Mestre em Cognição e Linguagem pela Universidade Estadual do Norte Fluminense – UENF

PARA ASSISTIR A PALESTRA CLIQUE AQUI

Resumo do trabalho: Esse trabalho se trata de uma apresentação, sem rigor científico, voltada para a linguagem corporal no ambiente de trabalho e como isso pode influenciar nas relações comunicacionais. Entender o que se passa com o corpo pode nos dar duas vantagens: perceber o que se passa com o outro e administrar nossas próprias posturas afim de melhorar a comunicação no ambiente. A linguagem corporal, embora seja algo inerente ao ser humano, ainda é pouco explorada nos ambientes corporativos e pode trazer grandes benefícios de utilizada corretamente. As expressões faciais, microexpressões, posturas corporais, gestos, sinais ideomotores, contramedidas são elementos de um vasto cabedal linguístico ainda distante do conhecimento pleno da maioria dos profissionais. Essa apresentação não resume todo conhecimento sobre o tema mas abre uma oportunidade de ampliar os conhecimentos e destacar a possibilidade do sujeito, enquanto ser profissional e pessoal, investir mais de sua atenção nesses aspectos do comportamento humano. A produtividade com certeza poderá ser ampliada se os ruídos existentes na comunicação forem diminuídos através dessa expertise em particular.

10h00 Profa. Maura Cobra
O INCENTIVO AOS PROGRAMAS DE RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL DE SAÚDE NA FORMAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS PARA O SUS: NEXOS ENTRE DELOR E PERRENOUD
Maura Nogueira Cobra – Mestre em Saúde da Família – UNESA
TRABALHO COMPLETO

PARA ASSISTIR A PALESTRA CLIQUE AQUI

Resumo do trabalho: A partir da Criação do SUS, a formação de recursos humanos vem sendo discutida a respeito da mudança do perfil profissional capaz de consolidar o referencial teórico proposto nos princípios do SUS e da LDBEN. Sobre o perfil do profissional que se pretende formar nos Programas de Residência Multiprofissional refletiremos os quatro pilares da educação exposto por Delors: aprender a conhecer, aprender a fazer, aprender a conviver e aprender a ser. Quanto ao papel do professor, que nos Programas de residência, denomina-se preceptor, refletiremos à luz de Perrenoud, as competências docentes frente à ação de educador e do profissional atuante. O estudo objetivou refletir sobre o perfil profissional que se pretende formar em consonância aos princípios do sistema; respaldar teoricamente esse debate baseado em Delors e Perrenoud quanto à formação baseada em competência, as competências do preceptor no processo formativo dos egressos; discutir o incentivo aos programas de residência multiprofissional como a melhor opção de formação lato sensu. O método adotado foi o de revisão de literatura. Os resultados apontaram que o perfil profissional do saber integral, humanista, ético e bioético poderá ser conquistado com êxito em programas de residência multiprofissional, pois diferentes saberes são compartilhados, reconhecidos e valorizados entre profissionais de diferentes áreas. Esse cenário favorece a vivência real do sistema de saúde e corrobora com o aprender a ser e aprender a conviver. Os programas em formato de residência oferecem 80% da carga horária práticas para 20% teórica e concorda com Perrenoud que afirma que a competência se concretiza através da prática, o que também se relaciona ao pilar, aprender fazer.

11h00 Profa. Renata Borja
AGENDA COGNITIVA: UMA NOVA FERRAMENTA DE LIFE-COACHING ESPECIFICAMENTE CONCEBIDA PARA AJUDAR AS PESSOAS A SUPERAREM SEUS CONFLITOS PESSOAIS E ANSIEDADES.
Renata Borja Pereira Ferreira de Mello - Mestranda em Relações Interculturais UAB-PT
TRABALHO COMPLETO

PARA ASSISTIR A PALESTRA CLIQUE AQUI

Resumo do trabalho: Este trabalho é a apresentação de uma agenda que une organização, planejamento, metas, estratégias, entre outros. Possui um guia com o objetivo de ensinar seus usuários a criarem novas estratégias, a fim de identificar e resolver problemas pessoais. Faz perguntas cujas respostas levam seus usuários a compreender seus pensamentos e emoções que gradualmente poderão ser modificados colaborando com a superação da crise. Erros cognitivos são apontados para ajudar as pessoas a reconhecer quando e quantas vezes eles são feitos, ensinando a lidar com esses erros. A agenda é um método de organização visando o bem-estar das pessoas.

14h00 Profa. Tatiana Picerno
NOÇÕES DE GESTALT TERAPIA
Tatiana Picerno Guerra - Psicóloga Clínica
TRABALHO COMPLETO

PARA ASSISTIR A PALESTRA CLIQUE AQUI

Resumo do trabalho: A proposta deste trabalho é apresentar algumas noções sobre a psicoterapia da Gestalt. Suas influências, fontes, alguns conceitos e a forma como o processo se constrói. A gestalt terapia é uma abordagem dialógica, relacional onde terapeuta e cliente constroem essa relação conjuntamente de forma criativa, autêntica e espontânea. A espontaneidade é uma característica marcante. Por ser uma abordagem fenomenológica, as experiências são importantes no setting terapêutico. No que diz respeito ao fenômeno, pretende a autora fazer um paralelo com o aqui e agora que se apresenta, nesse momento que se vem experienciando em relação a representatividade dos psicólogos. Um convite à reflexão.

15h00 Profa. Zélia Maria
DESAFIOS DOCENTES NA COMTEMPORANEIDADE
Zélia Maria Freire de Oliveira - Doutora em Educação – UCB-DF
TRABALHO COMPLETO

PARA ASSISTIR A PALESTRA CLIQUE AQUI

Resumo do trabalho:
  Apresentamos recortes e análises de duas pesquisas. A primeira é sobre uma política afirmativa no ensino superior, observando que políticas públicas e privadas de caráter compulsório, facultativo ou voluntário, visam combater à discriminação racial, de gênero, de cor, de sexo e de origem nacional, a fim de corrigir os efeitos vigentes da discriminação praticada no passado. A segunda pesquisa expressa a necessidade de se colocar a criatividade - recurso humano natural - como partícipe das práticas pedagógicas em todos os níveis de ensino, inclusive o da educação superior, como forma de tornar o ensino-aprendizagem mais atrativo e eficiente. A criatividade é uma habilidade de sobrevivência para os próximos anos, uma exigência do mercado de trabalho e pesquisa na busca de solução de tantos problemas do mundo atual.

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

III CVPSE - 14/12/2013 - ANAIS

Este evento promovido pelo ISEC - Instituto de Psicologia Ser e Crescer em conjunto com o Programa de Mestrado em Cognição e Linguagem da UENF-RJ contou com o apoio de: Portal de Notícias URURAU, da FAMESC - Faculdade Metropolitana São Carlos, da Editora WAK , da Universidade Estácio de Sá e do CRP-05 RJ.

Dia 14/12/2013 de 09h00 às 18h00 em três auditórios virtuais.


Estrutura:

Comissão científica:

Dra. Arlete Parrilha Sendra - Pós-Doutora em Semiótica - PUC RJ e  Universidade de Salamanca
Dr. Carlos Henrique Medeiros de Souza - Doutor em Comunicação UFRJ
Dr.  Luís Antonio Monteiro Campos - Doutor em Psicologia UFRJ
Prof. Msc. Beatriz Acampora e Silva de Oliveira - Mestre em Cognição e Linguagem UENF
Prof. Msc. João Batista de Oliveira Filho - Mestre em Cognição e Linguagem UENF

Comissão organizadora:

Prof. Msc. Beatriz Acampora e Silva de Oliveira - Mestre em Cognição e Linguagem UENF
Prof. Msc. João Batista de Oliveira Filho - Mestre em Cognição e Linguagem UENF
Prof. Msc. Bianca Isabela Acampora e Silva Ferreira

Monitor de Auditórios Virtuais:

Daniel de Abreu Vargas

AGENDA:

Auditório 01 - HIPNOSE PÓS GRADUAÇÃO
Palestras com os trabalhos de conclusão de curso dos Psicólogos  alunos de pós graduação do Curso de Hipnose do ISEC/FAMESC

09h00 -  Tema "Hipnoterapia o tabagismo  autorelato."
Palestrantes: Regina Costa Meirelles e Tatiana Picerno Guerra 
10h00 -  Tema "Técnicas de hipnose como coadjuvante na psicoterapia e depressão em adolescente."
Palestrantes: Maria Del Carmen Tourino Flores de Seixas

11h00 - Tema "Terapia e hipnose com foco nos aspectos emocionais do processo alimentar que resultam em obesidade."
Palestrantes: Janete Rocha de Oliveira 

13h00 - Tema "A hipnose e os estudantes de psicologia: barreiras e preconceitos a serem superados."
Palestrante: Valdecir Antonio Rossa 

15h00 - Tema "Hipnose no tratamento da depressão"
Palestrante: Pedro Paulo Miguel Soares 

16h00 -  Tema "A utilização da hipnose clínica em um caso de dissociação."
Palestrantes: Claudia Conceição de Mattos Martins e Ione Batista Basílio

Auditório 02 - SALA 02 IIICVPSE
10h00 - Tema  "Inteligência Emocional e Afetividade: Prazer poético no ensino."
Palestrante: Profª Paty Fonte 

11h00 - Tema "A Penalidade e a Exclusão Social Referente ao Uso de Substâncias Entorpecentes"
Palestrante:  Prof. Túlio Teixeira  Latteshttp://tinyurl.com/m6fobjj 

13h00 - Tema "Levantamento de indicadores de penosidade no trabalho"
Palestrante: Bernardete Casadei Discente Psicologia UNESA

14h00 - Tema "Hipnose no auxílio ao tratamento do tabagismo"
Palestrante: Daniel Vargas  Lattes: http://tinyurl.com/omjgpqg

15h00 - Tema "Análise Comportamental: As emoções estão na face"
Palestrante: Prof. João Oliveira Lattes: 
http://tinyurl.com/osxuxhh

16h00 - Tema "Comunicação na Hipnose e Hipnose na Comunicação"
Palestrante: Prof. Rogério Castilho

17h00 -  Tema "O administrador como líder na atualidade."
Palestrante: Profa. Leila Silva Lattes: http://tinyurl.com/kcqdaw3

Auditório 03 - SALA ESTÁCIO BRASIL
09h00 -  Tema "Gênero e Saúde Mental"
Palestrante: Prof. Dr. Walfrido Nunes de Menezes - Estácio Recife - Coordenação de Psicologia -Lattes: http://tinyurl.com/kgjh7zj 

10h00 - Tema "As três dimensões de um Curso de Psicologia: didático-pedagógica, corpo Docente e Infraestrutura"
Palestrante: Prof. Dr. Luis Monteiro - Coordenador Pedagógico Nacional de Psicologia Lattes:
http://tinyurl.com/kwf6xay 

11h00 - Tema "Treinamentos podem aumentar a criatividade?"
Palestrante: Profa. Claudia Behar - Coordenadora Nacional Pós Graduação da Área de SaúdeLattes: http://tinyurl.com/m5l83yo 

14h00 - Tema "Autoestima: práticas para transformar pessoas"
Palestrante: Profa. Beatriz Acampora - Estácio Rio de Janeiro
Lattes: http://tinyurl.com/mll5hl9

domingo, 15 de dezembro de 2013

ANAIS III CVPSE - Dia 14/12/2013 SALA 01 - HIPNOSE PÓS GRADUAÇÃO

09h00 -  Tema "Hipnoterapia o tabagismo  autorelato."


Palestrantes: Regina Costa Meirelles e Tatiana Picerno Guerra

 


10h00 -  Tema "Técnicas de hipnose como coadjuvante na psicoterapia e depressão em adolescente."

Palestrantes: Maria Del Carmen Tourino Flores de Seixas
Resumo: A existência da depressão na adolescência só foi reconhecida pelo Instituto Nacional de Saúde Mental dos EUA em 1975. Apesar do seu reconhecimento recente, ela já se apresenta, de acordo com as estatísticas da Organização Mundial de Saúde, em segundo lugar em causas de diminuição de vida útil da população. Este é um dado que gera preocupação, pois a adolescência é momento é de grande vulnerabilidade e a sintomatologia da depressão pode atingir aspectos da personalidade e trazer graves conseqüências para o adolescente. Outro ponto a ser destacado é em relação às manifestações dos sintomas de depressão em adolescentes. Elas variam de acordo com a fase de desenvolvimento em que o sujeito se encontra e podem estar mascaradas por sintomas psicossomáticos ou comportamentais. O adolescente deprimido pode não estar triste, mas pode se apresentar irritável e instável. A depressão, portanto tem uma dimensão subjetiva e na adolescência, ela é influenciada por fatores biopsicosociais. Diante do cenário exposto, a partir de pesquisa bibliográfica e estudo de caso, o presente trabalho tem como objetivo colocar em pauta a depressão na adolescência e a utilização de técnicas de hipnose como coadjuvante na psicoterapia.


11h00 - Tema "Terapia e hipnose com foco nos aspectos emocionais do processo alimentar que resultam em obesidade."

Palestrantes: Janete Rocha de Oliveira 

Resumo: Esse trabalho busca trazer uma reflexão sobre como os aspectos  emocionais podem interferir no processo alimentar e resultar em obesidade. Baseado em pesquisa bibliográfica e em um estudo de caso, o artigo mostra de que forma a Gestalt-terapia, apoiada nas técnicas de hipnose, permite ao indivíduo fazer escolhas e potencializar  seus recursos  cerebrais.
A partir da ampliação da consciência e da identificação  de disfunções de contato do cliente foi possível  apoiá-lo em seu processo  de autoconhecimento e de transformação, com o uso posterior das técnicas de  hipnoterapia

13h00 - Tema "A hipnose e os estudantes de psicologia: barreiras e preconceitos a serem superados."

Palestrante: Valdecir Antonio Rossa
Resumo: Este trabalho objetivou refletir a forma em que é abordado o tema hipnose durante o curso de graduação de psicologia, suas implicações e preconceitos e a falta de uma reflexão fundamentada em bibliografias fidedignas. De acordo com uma pesquisa feita junto a estudantes de psicologia, foi possível fazer uma radiografia do pouco conhecimento dos estudantes, sendo que um dos motivos constatado é resultante da pouca menção do tema hipnose enquanto ferramenta do psicólogo. Outro motivo é a compreensão negativa que alguns professores têm da hipnose, desmotivando parte dos estudantes. O trabalho conta com uma pesquisa bibliográfica que justifica a importância da abordagem direta do inconsciente como mais um recurso de trabalho para o psicólogo. A metodologia também teve uma pesquisa de campo, que foi confrontada com as bibliografias consultadas. Concluímos que a academia perde muito em não preparar seus profissionais em vista de um olhar propositivo para a hipnoterapia. Dessa forma, perdem os profissionais e perdem também os clientes.
 


15h00 - Tema "Hipnose no tratamento da depressão"

Palestrante: Pedro Paulo Miguel Soares

 


16h00 -  Tema "A utilização da hipnose clínica em um caso de dissociação."

Palestrantes: Claudia Conceição de Mattos Martins e Ione Batista Basílio

Resumo: Esse trabalho apresenta a hipnose clínica como técnica utilizada no tratamento de um caso de dissociação de personalidade. A hipnose entra como aliada ao atendimento psicoterapêutico. Foram observadas durante esse estudo, as disfunções psíquicas e seus comprometimentos, apresentados aqui como mecanismos de defesa. A técnica foi utilizada com bons resultados para minorar o sofrimento causado pelo transtorno. As induções hipnóticas são indicadas em casos de doença com base emocional, pois, além de auxiliar no processo de identificação dos estímulos que geram o trauma, o processo de ressignificação é pautado no direcionamento dessas induções. . A metodologia utilizada para a elaboração deste artigo foi pesquisa bibliográfica e estudo de caso.

ANAIS III CVPSE - Dia 14/12/2013 SALA 02 III CVPSE

10h00 - Tema  "Inteligência Emocional e Afetividade: Prazer poético no ensino."

Palestrante: Profª Paty Fonte 
Resumo: Pesquisa feita pela Universidade de Harvard mostra que inteligência emocional faz mais diferença do que tirar boas notas. Este é o atual tema de pesquisa da Profª Paty Fonte. A inteligência emocional é formada por um conjunto de competências relacionadas à capacidade de administrarmos de forma adequada às próprias emoções e, também, as alheias (das pessoas com as quais convivemos). 
Vivemos uma grande crise educacional.Não há uma formação reflexiva,geralmente, não formamos seres pensantes, homens completos. É urgente um trabalho afetivo, pautado em desenvolver emoções e criticidade. Como oferecer às novas gerações oportunidades para desenvolver talentos para a ciência e a beleza, para a solidariedade e a harmonia? Resgatar o prazer em estar na escola, o cultivo do diálogo, a autenticidade. A palestra visa discutir tais questões e lançar desafios aos docentes que pretendem realizar um trabalho verdadeiramente significativo, poético e intenso.


11h00 - Tema "A Penalidade e a Exclusão Social Referente ao Uso de Substâncias Entorpecentes"
Palestrante:  Prof. Túlio Teixeira  Latteshttp://tinyurl.com/m6fobjj
Resumo: O tema central desta palestra é a crise atual provocada pelas diversas formas de violências e injustiças sociais que alienam os indivíduos da realização dos objetivos comunitários, da capacidade de difundir o conhecimento e as tradições coletivamente. A crise se agrava na inexistência de princípios essenciais aos relacionamentos humanos como fio condutor da intersubjetividade. As instituições estão corrompidas e não cumprem a finalidade de formar, capacitar e organizar. No modelo de estado neoliberal globalizado prevalece o liberalismo de mercado e a lógica consumista em detrimento dos projetos sociais e pedagógicos capazes de transformarem os setores econômicos e proporcionarem uma sociedade igualitária. Portanto, a exclusão social torna a maioria da população carente dos benefícios dos recursos públicos. Como um indivíduo que perdeu a autonomia e dependente de uma substância química irá se recuperar e integrar-se à sociedade sem o auxílio estatal na forma de políticas?      A sociedade do consumo mascara a ideologia que sustenta os grandes capitalistas como grupos privilegiados nas esferas de poder. 
A omissão estatal é visível em relação aos direitos sociais, na aplicação dos princípios democráticos, na efetivação das políticas públicas e na construção de uma justiça social. Por outro lado os mecanismos de controle externos se encontram ativos e fundamentados pelo poder arbitrário gerando um sistema judiciário desumano, fraudulento e omisso. 


13h00 - Tema "Levantamento de indicadores de penosidade no trabalho"

Palestrante: Bernardete Casadei Discente Psicologia UNESA
Resumo: Trabalho relativo ao levantamento de indicadores de penosidade no trabalho humano, na área da saúde, em atendimento de emergências.    Seguindo a metodologia de Psicodinâmica do Trabalho, como central, para entender o sofrimento desses profissionais que atuam em emergência, através da coleta de dados em forma de protocolo de entrevista englobando um item para cada Dimensão e Nível, para mensurar o grau de sofrimento do profissional em cada dimensão e nível, realizando comparações através dos dados obtidos e assim sugerir possíveis intervenções, visando minimizar os danos de penosidade.


14h00 - Tema "Hipnose no auxílio ao tratamento do tabagismo"

Palestrante: Daniel Vargas  Lattes: http://tinyurl.com/omjgpqg
Resumo: O trabalho apresentado tem por objetivo apresentar um método criado pelo palestrante para que o cliente abandone o hábito de fumar, sanando assim suas dependências biológicas e psicológicas do cigarro em 6 sessões . No método utilizamos diversas induções, ancoramentos, script de imaginação criativa e gatilhos de auto-hipnose, sendo todas as informações discutidas e explicadas. Os ouvintes saíram mais capacitados a atender pessoas que tem vícios em geral, principalmente o do cigarro.


15h00 - Tema "Análise Comportamental: As emoções estão na face"

Palestrante: Prof. João Oliveira Lattes: http://tinyurl.com/osxuxhh
Resumo: A palestra trata da relevância que tem o trabalho de análise comportamental em vários campos de atividade do homem moderno. Podendo ser aplicadas técnicas em setores distintos onde exista a interação com o ser humano: segurança pública e privada, educação, saúde, comércio e negócios, justiça e etc. A palestra elenca alguns pontos importantes nesta área. 


16h00 - Tema "Comunicação na Hipnose e Hipnose na Comunicação"

Palestrante: Prof. Rogério Castilho
Resumo: A palestra mostra que Hipnose é feita com comunicação e que toda comunicação efetiva é hipnotizante. Tomamos como premissa que comunicação não é o que se fala, mas o que o outro entende. Assim sendo, quando da indução hipnótica, espera-se primeiro o entendimento das sugestões pelo sujeito e, depois, que ele execute as instruções (sugestões) para se chegar a um objetivo. Na comunicação dá-se o mesmo; espera-se que o interlocutor entenda a mensagem e, que, com ela, haja uma interação. Mostrou-se que a publicidade utiliza-se de MUITA linguagem hipnótica, assim como os líderes políticos e religiosos. Em resumo, é impossível não se comunicar. Assim sendo, é impossível não hipnotizar, é impossível não ser hipnotizado.


17h00 -  Tema "O administrador como líder na atualidade."

Palestrante: Profa. Leila Silva Lattes: http://tinyurl.com/kcqdaw3
Resumo: No perfil do administrador na atualidade, acrescenta-se, como essencial, uma competência: a capacidade de prevenir e superar as crises. A inquietação do administrador diante das adversidades, suas perturbações em face aos imprevistos, suas perplexidades e indecisões revelam despreparo para situações não previsíveis. Podemos considerar como fundamental que administradores estejam preparados para conviver diante de um cenário de mudanças constantes e que devem se familiarizar com duas palavras que incomodam, mas que exigem postura serena, esclarecida e objetiva para administrar a situação com êxito: crise e conflito. E outra coisa menos incômoda, mas muito mal percebida, que é a oportunidade. Se aceitarmos a afirmação do pensador alemão Ludwig Erhardt, de que “ao empresário vale mais o susto do que o conselho.”, então a crise tem seus aspectos positivos, desperta um novo olhar. Exige-se, do mesmo esforço, criatividade e liderança em situações de conflito e, sem estes, nada se realiza de verdadeiramente grandioso e permanente.
            A organização atual vive momentos de susto. Torna-se necessário evitar-se o pânico, pois este, nada constrói sendo paralisante como é. A alternativa é aceitar o desafio e lançar-se à integração e a sinergia das lideranças num esforço de renovação contínua para refletir com sua equipe sobre as medidas a serem adotadas e assim saber dominar situações de crise e conflito. Tal medida significa preparar-se para conviver com a instabilidade nos dias atuais. Cabe ao administrador montar estruturas, planejamentos flexíveis, adaptáveis, modificáveis em função das variáveis ambientais, que é uma condição de sobrevivência e requisito básico para gerir e crescer. Em situações de conflito, o perfil do administrador será o de harmonizar ideias e motivador da equipe, demonstrando interesse não somente pelo que é idealizado, mas incentivando as ações. Em todos os casos de gestão um fato óbvio e constitui-se na verdade o grande problema para os momentos difíceis, que é a falta de uma administração integrada e, daí, a ausência de uma estratégia de liderança e de desenvolvimento. Quando não há liderança integrada, sempre haverá muitas pessoas discordantes. A discórdia, por si só, já é um grande conflito organizacional. Podemos concluir que o administrador conseguirá enfrentar situações de mudança, que encerram fontes potenciais de conflitos, agindo sobre os efeitos, convivendo com o problema, agindo estrategicamente e atacando as causas. Para tanto, é vital o conhecimento para lidar com essas situações que necessitam de um diagnóstico imediato que oriente a intervenção terapêutica e ações preventivas de outras crises. O conflito conhecido gera a necessidade constante de revisões e negociações, que motivam decisões inovadoras. Crises e conflitos são geradores potenciais de novas oportunidades.